Menu fechado

“Chapéu” do São Paulo em rival, gratidão a Ceni e Muricy e apoio a Diniz: falamos com Richarlyson | são paulo

Tricampeão brasileiro e campeão mundial de clubes, Richarlyson foi o convidado do “GE São Paulo” #45, podcast do Tricolor no GloboEsporte.com.

Atualmente no Noroeste, na disputa da Série A3 do Paulista, o atleta de 37 anos relembrou sua trajetória no Morumbi e contou quais são os planos para o futuro (ouça a entrevista no player no início da reportagem ou clique aqui).

No bate-papo de mais de uma hora com os repórteres Eduardo Rodrigues, Joanna de Assis, Felipe Ruiz e Marcelo Hazan, Richarlyson falou de bastidores da conquista do Mundial, diante do Liverpool, detalhou a negociação com o Palmeiras antes de assinar com o São Paulo e revelou também ter sido sondado por Corinthians e Santos na época, em 2005.

– Após essa primeira fase realmente os quatro clubes grandes de São Paulo vieram atrás de mim. Mas mais fortes foram o Palmeiras e o São Paulo que me apresentaram proposta. O Corinthians e o Santos foram sondagens. Na época eu lembro que o Gallo (Alexandre) era o técnico do Santos e me ligou – disse, durante a entrevista exclusiva.

– Marcamos um dia para fazer uma reunião com o São Paulo e Palmeiras. Com o Palmeiras era de manhã, e com o São Paulo à tarde. De manhã, o Palmeiras não fez a reunião. Fizeram exame médico, como se eu fosse um cara praticamente contratado pelo Palmeiras. Eu, inocente sem saber, fui lá e fiz. Só que ao meio-dia eu tinha a reunião com o São Paulo. Eu fiz o exame médico, voltei e à tarde fui me reunir com o São Paulo. Na reunião com o pessoal do São Paulo, eu de pronto e imediato fechei – afirmou.

Richarlyson voltou a defender o São Paulo na “Legends Cup”, torneio de masters disputado no Morumbi — Foto: Van Campos/Estadão Conteúdo

Naquele ano, antes de ir para o São Paulo, Richarlyson se destacou pelo Santo André, inclusive na disputa da Copa Libertadores em um grupo no qual enfrentou o próprio Palmeiras.

– O que eu acho é que o pessoal do Palmeiras ficou chateado por eu ter feito o exame médico e inventaram que eu tinha assinado um pré-contrato com eles. Um papel que até hoje ninguém mostrou, para ver como é mentira, porque se fosse verdade eles mostrariam o documento. Mas como eu não tinha fechado com eles, mas sim com o São Paulo, tentaram usar de má-fé para me prejudicar.

No podcast, Richarlyson opinou sobre o atual São Paulo comandado pelo técnico Fernando Diniz. Ele demonstrou gratidão a Muricy Ramalho, treinador do tricampeonato brasileiro.

– Eu realmente fiquei preocupado no início. Não com o Diniz, porque eu acompanho ele nos outros clubes, principalmente no Fluminense e realmente era um futebol diferente. Não sabia se ele conseguiria implantar aquilo que ele tem como trabalho no São Paulo. Se tivesse vindo um pouco antes talvez não teria dado certo. Quando contratou jogadores com experiências positivas e vitoriosas fora do país acho que ajudou muito o trabalho do Diniz dar certo. Hoje sou fã do trabalho do Diniz no São Paulo – disse.

– Tem um mix de grandes atletas de histórias positivas e vitoriosas com atletas que estão começando e tem grande qualidade, como o Antony, que está saindo e cresceu muito dentro do São Paulo. É um mix de várias coisas, e o Diniz veio para acrescentar. Tenho plena convicção de que o trabalho do Diniz vai ser positivo.

Na conversa, Richarlyson também disse quem foi seu melhor companheiro de time e qual foi o adversário mais complicado de enfrentar (clique no player no início da reportagem para ouvir).

Richarlyson atualmente está no Noroeste — Foto: Bruno Freitas/EC Noroeste

Artigo Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *