Menu fechado

Menina de 14 anos mata amiga com tiro acidental em condomínio de luxo

Adolescente de 14 anos mata amiga da mesma idade após um disparo de arma de fogo acidental em condomínio de luxo de Cuiabá. Na casa foram encontradas 7 armas. Irmão da vítima publicou um desabafo

Isabele Guimarães Ramos

Isabele Guimarães Ramos

Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, foi morta na noite de domingo (12) vítima de um disparo de arma de fogo acidental. A menina que atirou tem a mesma idade e, por questões de legislação, seu nome não foi divulgado.

O episódio aconteceu no condomínio de luxo Alphaville I, em Cuiabá (MT). Isabele estava com outros 3 adolescentes na casa. Uma das meninas confessou que enquanto mexia em uma das armas que estava na casa acabou atirando acidentalmente na amiga.

Isabele foi encontrada pelos policiais militares dentro do banheiro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e constatou a morte da adolescente. Na casa foram encontradas 7 armas, sendo uma no nome do pai da adolescente que atirou, 4 em processo de documentação junto ao Exército e duas em nome de outra pessoa.

De acordo com as primeiras informações divulgadas pela polícia, Isabele morreu com um tiro na cabeça efetuado pela filha do dono da residência. A autora do disparo manuseava uma pistola PT 380 e a cena do crime teve alterações.

Esse é o segundo acidente fatal na família de Isabele. Ela é filha do neurocirurgião Jony Soares Ramos, que morreu em 2018, na estrada para Chapada dos Guimarães após bater em uma vaca.

“O sentido da vida é fazer você sofrer”

O irmão de Isabele Guimarães Ramos usou suas redes sociais para desabafar e lamentar a perda da adolescente. Ele também lembrou do acidente que tirou a vida do pai em junho de 2018. “O sentido da vida é fazer você sofrer. Só queria dar um abraço nela e um beijo”.

“É triste a vida… não deu nenhuma chance para minha irmã viver. Era uma irmã muito chata quando queria, mas um amor sempre. Era linda e, além de tudo, era minha irmã”, iniciou o garoto nas redes sociais.

VEJA TAMBÉM:
Defensora do porte de armas assassina as filhas e inflama debate nos EUA
Militante do livre uso de armas de fogo é baleada pelo filho de 4 anos

Em outra postagem, o menino lembrou do acidente que tirou a vida do pai. “Agora sei o sentido da vida, é fazer você sofrer. Meu pai já foi, agora minha irmã. Meu Deus. Queria só dar um abraço e beijo nela”.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Artigo Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *