Menu fechado

Planeta Arroz | Santa Catarina j planta a safra de arroz 2020/21

Primeiras sementes de arroz pr-germinado j esto chegando ao solo desde o final de julho, aproveitando os dias de calor

J comeou, em Santa Catarina, o plantio da lavoura de arroz da temporada 2020/21. Mesmo em municpios ao Sul do estado e apesar do clima mais frio do que no ano passado, a semeadura avana.

No municpio de Nova Veneza, o agricultor Silvino Gava j plantou 50 hectares, e informa que tanto ele quanto seus vizinhos j esto colocando as sementes na terra. Ele adepto do cultivo em duas etapas, a safra “normal” e o manejo da soqueira, ou seja, depois de colhido o arroz, h nova fertilizao para induzir o rebrote e nova produo, que geralmente fica entre 20% e 30% da produtividade do primeiro corte. Com um clima favorvel, se busca mais de 40% sobre o volume agregado.

Nova Veneza plantou na ltima temporada 8.860 hectares de arroz, e est entre os quatro maiores produtores de Santa Catarina. um municpio de 14 mil habitantes, com forte influncia da colonizao italiana, vizinho a Cricima. “Atualmente estamos com cerca de 5% da reas plantadas, mas acredito que at o final da prxima semana ultrapassemos os 20%”, explica o orizicultor. O seu plantio fracionado at setembro, quando deve ser encerrado no municpio.

Depois de uma boa safra em 2019/20, o agricultor est mais preocupado para a temporada que se inicia. “Este ano esto falando em ondas de frio at perto de novembro, o que no ajuda na produo. O clima ideal mais quente e sem grandes oscilaes”, explica.

Na regio de Joinville, Massaranduba, Guaramirim e Araquari, ao norte de Santa Catarina, so cultivados perto de 15 mil hectares, e o plantio tambm tem evoludo. Hector Haverroth, gerente regional da Empresa de Pesquisa Agropecuria e Extenso Rural de Santa Catarina (Epagri) e lder do Programa Gros da empresa na macrorregio, considera que 20% da rea a ser plantada nestes quatro municpios est semeada, o que representa pouco mais de 3 mil hectares.

Nesta regio, o cultivo da soqueira tradicional e os produtores costumam plantar parte das reas ainda em agosto, se o clima permite. No sul do estado, o plantio antecipado para fazer a primeira safra e a soqueira, um fenmeno recente. “Comeou em maior volume h trs safras, com uma condio de clima favorvel e resultados razoveis, mas no o mais indicado. um procedimento que traz muitos riscos”, avisa Hector Haverroth.

Ele acrescenta que com pouco mais de uma semana de sol e temperaturas mais altas, os produtores estavam ansiosos e adiantaram um pouco o plantio. No norte, por causa de uma condio climtica diferenciada, existe todo um manejo desenvolvido e uma prtica maior dos arrozeiros, baseada em dcadas de manejo. “No sul do estado, j no to recomendvel essa antecipao, pois ela amplia o nvel de riscos produtividade e qualidade da safra principal”, alerta o agrnomo da Epagri.

Explica ele que, ao antecipar demais o plantio, o rizicultor eleva o nvel de risco da safra principal, com possibilidade de reduo produtiva, dificuldades de estabelecimento da lavoura e demora na emergncia, alongamento do ciclo, e tem maior dependncia de um clima muito favorvel.

Alm disso, ao estabelecer uma safra principal e uma soqueira, a regio eleva a possibilidade de ataques de pragas, doenas e de maior incidncia de plantas invasoras.

“Como o plantio antecipado, mas por causa da soqueira ele tambm acaba alongado, l na hora de colher a segunda safra, h mais chances de pegar um frio ou a incidncia de pragas e doenas que tragam no s maior custo, mas tambm menor produo do que uma safra normal, bem feita. Portanto, a iniciativa pode no compensar”, observa.

Apesar dos riscos, a safra com aproveitamento do rebrote tem sido uma tendncia de muitos produtores para buscarem maior produo e renda em reas que plantam “arroz em cima de arroz”, sem muitas alternativas de rotao. Os bons preos do momento, tambm incentivaram a antecipao, uma vez que colher em dezembro/janeiro, pode ser a oportunidade de ainda alcanar cotaes mais elevadas.

Artigo Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *