Menu fechado

Vídeo mostra momento em que PM salva homem ilhado em carro em BH

Algumas ruas ficaram completamente de baixo d’água, como foi o caso da rua Ministro Oliveira Salazar, onde vítima foi resgatada

O temporal que atingiu Belo Horizonte nesse sábado (3) causou estragos em diversas partes da cidade, como alagamentos e fechamentos de vias importantes. Algumas ruas, aliás, ficaram completamente de baixo d’água, como foi o caso da rua Ministro Oliveira Salazar, altura da rua Dr. Álvaro Camargos (antiga 12 de Outubro), no bairro Santa Mônica. No local, o empresário Simar de Souza, 50, ficou ilhado sobre o teto de um carro.

Souza estava voltando do trabalho, no bairro Letícia, na região de Venda Nova, e indo para a casa, no Guarani, região Norte da cidade, quando começou a chover. Para evitar a avenida Vilarinho, que já estava alagando, ele decidiu passar pelo bairro Santa Mônica. “Quando cheguei na 12 de Outubro, a água já me pegou, subiu direto e inundou o carro. Deu tempo só de tirar a blusa de frio que eu estava vestindo, que estava pesada”, conta.

O desespero aumentou quando a água alcançou o peito do empresário. Ele tentou abrir a porta do carro, mas não conseguiu, porque a força da água não deixou. Souza, então, saiu pela janela e ficou sobre o teto do veículo, um Fiat Uno. “Eu sei nadar, mas estava uma correnteza muito forte”, diz.

A salvação do homem veio próximo dali: uma guarnição da Polícia Militar (PM) que seguia em direção à avenida Vilarinho, para apoiar outras viaturas que estavam fazendo o bloqueio da via, foi obrigada a parar na rua Doutor Álvaro Camargos ao perceber que ali também estava em processo de alagamento.

“Fomos acionados por populares, porque tinha um Fiat Uno descendo na enxurrada. Tentamos nos aproximar o máximo com a viatura e, com bastante cautela, traçamos um plano, procurando saber onde havia galerias e bueiros”, conta o tenente Diego Dornelles, do 49º Batalhão, que, com uma corda, chegou até Souza e o resgatou. “Graças a Deus a gente teve sucesso”, comemora.

Um dia depois do sufoco, o sentimento de Souza, que é casado e pai de dois filhos, passou a ser de alívio e gratidão: “Nasci de novo”, diz.

Assista:

 

Leia a entrevista:

O TEMPO – Como tudo aconteceu?
Simar de Souza –
Eu estava no Letícia, indo para o bairro Guarani. Decido não passar pela Vilarinho, porque ela já estava alagando, os carros estavam dando ré, e cortei pelo bairro Santa Mônica. Quando cheguei na 12 de Outubro (atual Doutor Álvaro Camargos), a água já me pegou, subiu direto e inundou o carro. Deu tempo só de tirar uma blusa de frio que eu estava vestindo, que estava pesada.

Quando você decidiu sair do carro?
Quando a água começou a bater no meu peito. Nesse momento, tentei abrir o carro, mas não consegui, as portas não abriam. Foi quando comecei a ficar desesperado. Então, eu saí pela janela do carro. Estava uma correnteza muito forte.

Como você está se sentindo hoje?
Graças a Deus estou bem. Estou aliviado. Foram 20 minutos de desespero, uma loucura. Nasci de novo.

Simar de Souza conversou com a reportagem no dia seguinte ao que ficou ilhado no bairro Santa Mônica. Foto: Leo Fontes / O Tempo

Pode voltar a chover

A Defesa Civil de Belo Horizonte emitiu na manhã deste sábado (4) um alerta para pancadas de chuva válido até as 8h deste domingo (5). Existe a possibilidade da chuva estar acompanhada com raios e rajadas de vento em torno de 50 km/h.

Transtornos

A chuva provocou diversos transtornos em algumas áreas da cidade.

Além do fechamento da avenida Vilarinho e vias do entorno por causa da inundação, a avenida Clóvis Salgado, no bairro Bandeirantes, na região da Pampulha, em Belo Horizonte, esteve com pontos de alagamentos, segundo a BHTrans.

A avenida Tereza Cristina e Córrego Ferrugem precisaram ser monitorados por equipes da BHTrans caso seja necessário interditar alguma via na região.

(Com Lucas Henrique Gomes e José Augusto)

Artigo Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *